Empreendedorismo

#GIRLBOSS: Conheça Algumas das Nossas Clientes Poderosas e que Admiramos!

Observamos cada dia mais uma série de mulheres que opta pelo empreendedorismo, como uma forma de fugir dos postos de trabalho mais tradicionais e inflexíveis, principalmente quando se tornam mães. Isso pode ser uma saída da problemática do mercado de trabalho  que ainda é bem machista, uma pesquisa recente do IBGE constatou que as mulheres ganham aproximadamente 79.5% do salário dos homens, por exemplo.

Porém, nem tudo são flores, o empreendedorismo traz consigo muitas dificuldades e inseguranças por não ter estabilidade, aposentadoria, seguro desemprego. Além disso, muitas dessas mulheres ainda precisam conciliar sua rotina de trabalho com diversas outras funções e ainda enfrentar julgamentos, com pessoas que acham que seu empreendimento é só um hobbie. 

Para prestar nossa homenagem à essas mulheres, nessa semana que começou com o dia 8 de março, convidamos 4 clientes para responder algumas perguntas relacionadas ao assunto. As perguntas eram: 

  1. Por que você decidiu abrir o próprio negócio?
  2. Você sentiu ou sente alguma dificuldade em ser uma mulher protagonista no seu ramo?
  3. Se você pudesse dar um conselho para aquelas mulheres que estão na mesma jornada de empreendedorismo, qual seria?
  4. Indique o perfil de 1 mulher empreendedora que você admira. 

Aqui vai um resumo do que cada uma falou e as respostas na íntegra estão disponíveis no nosso perfil do Instagram.

Gabi Mahamud do @goodtruckbrasil (Curitiba,PR):

O incômodo que eu sentia ao ver tanta desigualdade no mundo, o entendimento de que ela é muito mais enraizada do que eu imaginava e o senso de responsabilidade de que eu poderia e deveria fazer algo. O GoodTruck nasceu com o objetivo de levar comida de qualidade (nutritiva e gostosa) para pessoas em situação de vulnerabilidade, diminuindo o desperdício de alimentos ao passo que “ensina” sobre empatia e consumo consciente. 

Eu sinto muita dificuldade, tanto por ser mulher, quanto pela minha pouca idade. O ramo da gastronomia ainda é bastante machista e do empreendedorismo social é entendido como um lugar de “cuidado”, e não de inovação e negócios. 

Meu conselho seria para não duvidar de você! Desde que você esteja fazendo aquilo que acredita e ama, você VAI encontrar um jeito de fazer tudo dar certo. Ouça apenas o conselho/opinião das pessoas que realmente te amam e se importam com você. Não deixe que os desafios façam com que você se endureça. Seja flexível! Tudo que é rígido, quebra. Flexibilidade é resiliência. 

Eu indico a @fefulita

Aline @inkubolos  (Curitiba, PR):

Decidi abrir meu próprio negócio porque acredito que nunca tive o perfil para ficar entre quatro paredes e nunca tive o perfil de viver dentro de limites impostos para mim, a questão de liberdade sempre foi fundamental. 

Eu acredito que o mercado de confeitaria é um mercado onde as mulheres têm um espaço garantido e onde elas ditam as regras, os homens são exceção. Isso não quer dizer que não existam dificuldades, como eu sou pequena e trabalho sozinha eu não sinto tanto, mas eu vejo colegas que têm filhos, por exemplo, que são muito cobradas. As pessoas não levam tão a sério e cobram muito que a mulher faça tudo, acreditam que aquilo que ela faz é um hobbie e não um trabalho, eu já vi isso acontecer com muitas colegas. 

Meu conselho para outras empreendedoras seria: acredite em você mesma e vai em frente! Se você quebrar a cara, vai se arrepender por ter feito, porque a pior sensação é se arrepender daquilo que você não fez. 

Eu indico a @robertaschwanke_gastronomie.

Moana @moanahousesalon (Santos, SP):

Depois de muito procurar um Espaço que prezasse pela beleza natural e que tivesse preocupação também pelo meio ambiente, depois de muito estudar desenvolvi minhas próprias técnicas e resolvi abri meu espaço, sem nenhuma cliente. Hoje somos referência em nossa cidade, mas ainda sim, observo uma dificuldade pois muitas as pessoas dão maior credibilidade aos homens mesmo no setor da beleza, mesmo que seja um salão que trate de cabelos cacheados e o homem não tenha nenhum cacho rs. e por isso mesmo o Moana só agrega mulheres! 

Eu aconselharia outras empreendedoras a estudar, planejar e ir com calma, por mais que queremos nossa liberdade financeira, é preciso ter cautela, respirar para que a construção seja sólida. Ah! guarde dinheiro, invista! 

Eu indico o perfil da Paula Breder @espacopaulabreder.

Giana @bloomgateau (Curitiba, PR):

Sempre foi um sonho abrir meu próprio negócio e que seria dentro da área da confeitaria, só não sabia exatamente como. Eu me preparei muito para isso e aos poucos a hora foi chegando, veio o momento certo e eu tive certeza que deveria fazer, que tinha que ir atrás desse sonho.

Não sinto dificuldade, eu acho que pelo contrário, eu acho que como as mulheres abraçam muitas causas e muitas funções, entre elas ser mãe e mil outras, eu vejo o oposto, não como um problema mas sim num sentido de orgulho, de conseguir fazer, de poder fazer e ter essa certeza que nós podemos.

O primeiro deles seria acreditar no sonho, nessa força que a gente tem e ao mesmo tempo saber que a gente não precisa ser “mulher maravilha” nenhuma, que a gente consegue mas que cada uma tem que ir dentro dos seus próprios limites e sobretudo sem esquecer o que te motiva e qual o real significado, qual é o sentido daquilo que você está fazendo.

Vou indicar o perfil da Ju @doucedujour, que é uma grande amiga. 

Esperamos com esses exemplos, influenciar outras mulheres a começar ou dar uma força para aquelas que já estão empreendendo. Adoramos conhecer suas histórias e criar peças maravilhosas para vestir suas empresas <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *